top of page

Ambientes aquáticos!!!


Queridos, bom dia! Hoje a nossa aula será descritiva. Iremos aprender sobre os ambientes aquáticos, em dois aspectos principais: 1) Organismos vivos e suas relações com o ambiente.

2) Regiões do ambiente aquático.

Bom...então vamos a eles:


1) Organismos vivos:


Plâncton


Formado por organismos que não conseguem se mover contra as correntes marítimas. São seres principalmente microscópicos, que podem ou não fazer fotossíntese. Inclusive, essa característica serve para classificarmos os seres do plâncton): - Fitoplâncton: formado pelos seres autotróficos do plâncton. São os grandes produtores de oxigênio do planeta. São as algas e as cianobactérias.

Zooplâncton


Formado por organismos heterotróficos, ou seja, que se alimentam de outros organismos, sendo grandes predadores do plâncton.


Nécton


Fazem parte do nécton todos os seres que se locomovem pelas águas, sem serem levados pelas correntes. Fazem parte desse grupo de seres os principais predadores marinhos. Peixes e moluscos nadadores, como tubarões, polvos e lulas estão nesse grupo.


Bentos


São os seres que necessariamente estão sujeitos a algum substrato (fundo do mar, casco de navio, pedaço de madeira qualquer, etc). Caranguejo, ostras, anêmonas, e muitos outros organismos dos recifes de coral fazem parte do bentos.





2) Ambientes aquáticos


Mares e oceanos são ambientes de água salgada, onde a concentração de sais exige adaptações dos seres, sobretudo com relação a homeostasia, onde se controla as concentrações internas do corpo em relação ao ambiente. Além disso, rios e lagos formam uma grande parte dos ambientes aquáticos de água doce.


Sobre a luminosidade:


Ambientes mais profundos, como os oceanos, apresentam um maior dinamismo com relação a iluminação, alguns com grande quantidade de luz (zona fótica), até 200 m de profundidade e outros com nenhuma quantidade de luz (zona afótica). Abaixo dos 600 m, já encontramos ambientes completamente escuros, onde os seres precisam se adaptar a uma vida completamente sem visão. Entre os 200 m e os 600 m, encontramos a zona disfótica, onde a luminosidade é muito pequena para se realizar fotossíntese, mas onde ainda existe uma visibilidade muito pequena.


Já nos ambientes de água doce, com exceção dos lagos em cavernas e dos lençóis freáticos , a luminosidade é sempre muito presente, o que aumenta a temperatura média. Além disso, sem o chacoalhar das águas, característica constante de mares e oceanos, a concentração de oxigênio varia bastante. Alta em cachoeiras e corredeiras, e baixa em lagos e rios muito lentos.



Bom, queridos, por enquanto é isso.

Até nosso plantão de dúvidas, hoje 9h.



Fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuiiii!!!!!!!!!!

32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Aviso - Resultados de Recuperação

AVISO - Resultados de Recuperação pendentes serão disponibilizados segunda-feira, 21/12, após 12h. Atenciosamente, Coordenação - CPG

Comentários


bottom of page